Sebastião diz que Duque não possui boa equipe técnica pra fazer SAMU funcionar em ST

Âncora do Sertão

Sebastião-Oliveira

O Samu de Serra Talhada volta ao centro do debate nesta semana, através de pauta do radialista Francys Maia, no Programa Tribuna Livre, na Rádio Líder do Valer FM. O secretário de transportes Sebastião Oliveira, concedeu entrevista retratando o assunto na íntegra e relatando de quem seria a responsabilidade para colocar o sistema em funcionamento – Prefeitura ou Estado?

De acordo com o Ministério da Saúde, a Prefeitura Municipal recebeu em 2012, o repasse de R$ 290 mil para construção da Central de Regulação das Urgências da Região, que atenderá a macroregião composta por 35 municípios. Também foram repassados R$ 3,6 milhões para o Governo do Estado comprar 30 ambulâncias, sendo cinco delas de suporte avançado.

“Duque recebe dinheiro do Governo Federal e Estadual (…) Prefeito brigou pra que esse serviço fosse pra Serra Talhada, e não abre o serviço por pura incompetência, por que como é que ele quer enganar a população, por exemplo, numa secretaria de esporte onde puxou um vereador para colocar um suplente no lugar e fazer uma agregação – O próprio vereador vai para o rádio e diz ‘que tem 48 funcionários comissionados e só 16 trabalham’. Se cortasse esses 32 que são apadrinhados do vereador e das demais secretarias políticas, teria dinheiro para colocar o Samu pra funcionar, e, também se entendesse um pouco de gestão pública, saberia que o dinheiro do Samu é totalmente diferente das UPAS do Estado”, disparou Sebastião Oliveira, contra Zé Raimundo e a gestão.

Mastigando críticas o secretário ainda relatou – “Um completo despreparo como gestor, com maldade e irresponsabilidade de querer transferir as mazelas a outro… Isso é principio típico da propaganda ‘Nazifascista’ e nós não vamos aceitar”, apontou.

“O governo do Estado nunca se recusou a dar contrapartida, mas quem tem obrigação de botar para funcionar é o secretário do município e o prefeito. Agora, se não tem uma equipe técnica boa, não tem competência, seja humilde e fale com a população e não jogar a culpa no governo do Estado”, declarou Sebastião Oliveira revoltado.

RESPONSABILIDADE

“A responsabilidade do SAMU regional é municipal, mas se não houver dinheiro para custear contratação de pessoal, botar pra funcionar, terá sim a participação do estado. Está acontecendo do Estado ter a parte dele e o prefeito não ter”, discorreu o secretário.

GOVERNO MUNICIPAL

O Âncora tentou entrar em contato com prefeito do município e o secretário de governo, para explicarem a situação apontada pelo representante do Governo do Estado, mas não conseguiu até o final desta matéria.

VEJA TAMBÉM