Vereador se defende de acusações de Antônio de Antenor e diz que também pode realizar Boletim de Ocorrência

Entrevista com o vereador Rosimério de Cuca (PMN), no programa Âncora do Sertão.

O vereador Rosimério de Cuca (PMN) apresentou nessa terça-feira, dia 10, sua versão do debate fervoroso na Casa Legislativa de Serra Talhada, ocorrido na sessão da última segunda-feira, dia 9, com o vereador de oposição, Antônio de Antenor (PR).

Na tribuna, Antônio de Antenor, em dez minutos, abriu a metralhadora contra os vereadores de governo, no entanto, foi contra Rosimério de Cuca que o republicano se excedeu, saindo do debate político para fatos particulares da vida do governista, inclusive, retratando uma situação constrangedora de saúde.

Entre outras acusações feitas pelo republicano, está sua exaltação pelo número de votos conquistados nas eleições do ano passado, quando terminou a corrida eleitoral na 15ª posição. No plenário, Antônio de Antenor desmereceu o coeficiente de votos do vereador governista e entrou no embate pessoal.

Durante entrevista ao programa Âncora do Sertão, na Serra FM, nesta terça-feira, o vereador Rosimério de Cuca deu sua versão sobre o embate com o republicano, durante a sessão legislativa.

“Na Câmara de Vereadores temos debates fervorosos, então, eu me senti indignado quando o Antônio de Antenor disse – com relação a minha votação – que ele tirou 967 votos e eu 687 e ele entrou pela porta da frente e eu entrei pela porta da cozinha. Então, não acho que seja dessa forma, porque os eleitores que depositaram a confiança em mim acreditaram que eu iria fazer um bom trabalho como vereador e, com modesta parte, estou fazendo”, disse o parlamentar.

De acordo com Rosimério de Cuca, o republicano está sendo instruído a polemizar as sessões da Casa Legislativa, onde tem deixado o debate político para o de cunho pessoal.

“A pessoa que está instruindo Antônio de Antenor – por ser líder da oposição – a bater de frente com esses argumentos, está totalmente errada, porque sempre que há uma ação, existe também uma reação, então, tive que revidar e fiz da maneira que falei (na sessão legislativa)”, explicou o vereador.

Em relação as ameaças policiais e judiciais, o parlamentar governista, pontuou que pode seguir a mesma ação, caso Antônio de Antenor siga em frente com o embate.

“Ele falou que vai fazer Boletim de Ocorrência (BO), não tem problema Antônio de Antenor. Simplesmente, o que falei ontem não tiro nenhuma vírgula. O que falei ontem foi, simplesmente, que em vez de você estar conversando do que você tratou, você justificasse a população de Serra Talhada o que muita gente não entende ou não sabe o motivo pelo qual você passou oito anos inelegível. E você foi  processado quando prestou contas, na época em que era presidente da Câmara de Vereadores de Serra Talhada. Eu estava falando politicamente, mas Antônio de Antenor veio com um negócio pessoal de apendicite e daquilo e acho que ele se equivocou também. Do mesmo jeito que ele está me ameaçando fazer um BO, eu também posso fazer contra ele”, finalizou Rosimério.

VEJA TAMBÉM